Loader

Abstracts - Marília Pires

Type of the Presentation: Poster

ESTUDO DA EFICIÊNCIA DE PROCESSOS DE BIODEGRADAÇÃO DE INSETICIDAS POR MICRO-ORGANISMOS ASSOCIADOS A INSETO E SEU IMPACTO NA AQUISIÇÃO DE RESISTÊNCIA

Marília Pires1*, Eliane Lima1, Moacir Forim1, Maria Fátima G. F. Silva1 and João Batista Fernandes1

1 UFSCar; masipires@yahoo.com.br

* Correspondence: masipires@yahoo.com.br

O sucesso da produção agrícola se deve, em grande parte, ao uso de agroquímicos sintéticos para o controle de pragas. Todavia, essa prática tem consequências como contaminação do solo, da água, do ar, dos animais e dos seres humanos, além de contribuir para o aumento da resistência de insetos-praga. O ganho de resistência tem sido atribuído a diversos fatores como a exploração do potencial metabólico de micro-organismos simbiontes presentes no trato gastrointestinal dos insetos, que promovem mecanismos de defesa contra inseticidas. Esse trabalho teve como objetivo avaliar a biodegradação de inseticidas com base na atividade de micro-organismos simbiontes do inseto-praga Diabrotica speciosa. Para isso, um método de análise qualitativo e quantitativo por cromatografia gasosa-espectrometria de massas sequencial foi desenvolvido e validado para os inseticidas carbofurano, clorpirifós, fipronil e cipermetrina. Quinze bactérias foram selecionadas a fim de verificar a tolerância das cepas ao cultivo na presença dos inseticidas, sendo observado que a maioria das cepas foi capaz de se desenvolver em meio contaminado. Após os ensaios de tolerância, a bactéria Pseudomonas putida foi selecionada para testes de condições de cultivo que pudessem otimizar a biodegração, sendo essas condições a quantidade de carbono e nitrogênio, fornecimento de oxigênio e presença de surfactante. Foi avaliada a cinética de degradação para dois grupos de bactérias e seus respectivos co-cultivos, o que indicaram menor recuperação dos compostos do meio com bactérias, sugerindo possível biodegradação dos compostos pelas cepas, principalmente para a bactéria P. putida, em que 80% de todos os compostos foram recuperados. O consórcio não apresentou vantagem sobre as cepas isoladas. Assim, através dos ensaios realizados in vitro surge a hipótese de que os micro-organismos associados ao inseto-praga D. speciosa podem estar relacionados à mecanismos de detoxificação e aquisição de resistência do inseto contra inseticidas.

Refs.

  1. Abhilash, P. C.; Singh, N., J. Hazard. Mater. 165, 1-12, 2009.

  2. Odukkathil, G.; Vasudevan, N., Rev. Environ. Sci. Biotechnol. 12, 421-444, 2013.

  3. Kikuchi, Y. et al., PNAS. 109, 8618-8622, 2012.

  4. Werren, J. H., PNAS. 109, 8364-8365, 2012.